quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Hein?!?!

Leitora Moema acaba de comentar, deixando o seguinte link: http://odia.terra.com.br/portal/economia/html/2009/8/anvisa_proibe_alimentos_e_bebidas_nas_farmacias_30253.html


Resumidamente, a matéria diz que a Anvisa baixou uma resolução proibindo a venda de cosméticos nas farmácias e drogarias brasileiras. Comentei em seguida, no mesmo post, dizendo que passado o espanto inicial e a cara de "como assim?!?!", pensei e conclui que é bem provável que a tal resolução não "pegue". Acho difícil que o setor não faça um belo de um lobby contra, argumentando inclusive que é necessária lei pra que a proibição aconteça (e eu, do alto dos meus 1,54 metros de quem fugiu da faculdade de direito, acho que é sim, mas peço a ajuda de nossas leitoras universitárias/advogadas quanto a isso). E acho também que, em determinados casos, não é tão fácil distinguir um cosmético de um medicamento. É bico no caso de um blush, ou de uma sombra, mas e itens como o meu Diacnéal, que contém ácidos e é recomendado por dermatos? Ele é cosmético porque serve pra deixar a pele mais bela, ou é remédio porque a acne é uma doença e ele se presta a combatê-la??? Xi, e agora???


E não é porque eu tenha medo de ter que mudar o nome do blog pra (não) Vende na Farmácia, mas essa resolução não é meio tolinha? Como assim, dizer que a venda de cosméticos é uma armadilha para pacientes, que acabam por comprar itens sem necessidade? Se eu vou à farmácia comprar antigripal, desde quando sou obrigada a sair dela com um antigripal e um batom??? A Anvisa agora é minha mãe??? Eu não tenho discernimento??? Ai, ai, ai.


Abaixo vai o texto na íntegra. E vocês, o que pensam a respeito???


Anvisa proíbe alimentos e bebidas nas farmácias

Com as novas regras para funcionamento, drogarias não podem mais vender doces e refrigerantes. Setor vai à Justiça contra medida

POR MICHEL ALECRIM, RIO DE JANEIRO

Rio - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) baixou ontem resolução para regulamentar farmácias e drogarias no País. Passa a ser proibida a venda de produtos como alimentos, refrigerantes e cosméticos. As medidas já causam polêmica, e a entidade que representa os estabelecimentos informa que vai entrar na Justiça contra as proibições.

Segundo o diretor-presidente da Anvisa, Dirceu Raposo de Mello, as farmácias estavam usando esses produtos como “chamariz” para a venda de medicamentos, comprados sem necessidade. “Acaba por banalizar o ambiente da farmácia, atraindo o paciente para dentro dele com esse tipo de produto que não tem a ver com o objetivo dela. Só faz com que o paciente caia numa armadilha”, afirma Mello, que anunciou para breve controle maior sobre os remédios de tarja vermelha, principalmente antibióticos, que terão tratamento parecido com os de tarja preta.

Os estabelecimentos têm seis meses para se adaptar. A fiscalização ficará a cargo da Vigilância Sanitária Municipal ou da Estadual, no caso de municípios que não tenham esse órgão. As multas podem chegar a R$ 1,5 milhão, dependendo do porte do estabelecimento.

O presidente-executivo da Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), Sérgio Mena Barreto, classificou parte das medidas de ilegal. Segundo ele, só através de lei pode ser regulamentado o que deve ou não ser vendido. Alguns estados já teriam essa legislação. “Vamos questionar essa instrução na Justiça”, diz. Segundo ele, os produtos servem para viabilizar as farmácias e a proibição pode encarecer os remédios.

A Anvisa autorizou venda pela Internet, desde que a farmácia funcione em loja aberta ao público e com farmacêutico de plantão. A fotógrafa Berenice Valentim, de 59 anos, disse que continuará comprando pessoalmente, mas a fisioterapeuta Delizete Pacheco, 29, aprovou a recente medida.

AS NORMAS

PRODUTOS PROIBIDOS
Farmácias e drogarias não podem mais vender alimentos, cosméticos ou qualquer produto que não tenha como finalidade a saúde. A lista inclui barrinhas de cereal, refrigerante e sorvete.

CONTROLE
A nova regulamentação também impede que medicamentos sejam expostos ao alcance dos consumidores. Devem ficar em área de acesso restrito a funcionários ou farmacêutico. As farmácias são obrigadas a aprimorar a limpeza.

ALÉM DOS REMÉDIOS
Fitoterápicos, de uso dermatológico ou de notificação simplificada (sem tarja), desde que autorizados pela Anvisa, podem ser comercializados nas farmácias. Adoçantes e suplementos alimentares também podem ser vendidos.

INTERNET
Foi autorizada a venda de medicamentos pela Internet e por telefone, mas proibida a comercialização por esse sistema dos remédios controlados (tarja preta). Para os produtos de tarja vermelha, o paciente deve apresentar a receita ao entregador. No site, o estabelecimento não pode colocar logomarca nem fazer propaganda dos remédios.


UPDATE: Amigas leitoras farmacêuticas (valeu, meninas!!!) esclareceram que as novas regras não proibem a venda de cosméticos nas farmácias e drogarias, e que a reportagem acima está meio, digamos, equivocada. Não vou negar que esta que vos escreve experimentou um sentimento de "ufa" quando leu os textos. Confiram em:

http://www.anvisa.gov.br/divulga/noticias/2009/pdf/in9_170809.pdf
e
http://www.anvisa.gov.br/divulga/noticias/2009/pdf/180809_rdc_44.pdf


Como o nosso pequeno nicho não será tão afetado, a gente não vai discutir aqui sobre a venda ou não de alimentos e bebidas nas farmácias... mas continuo achando a resolução meio bocó. Até parece que proibir farmácia de vender barrinha de cereal vai impedir alguém de se automedicar, ainda mais com grande parte dos medicamentos sendo vendidos sem receita. Dã. Mas enfim, algumas agências gostam de catar pelo em ovo....


Continuem com os pitacos nos comentários!

24 comentários:

  1. Loucura, eu compro tudo na drogaria Araújo.

    E bengala pode? Lá na Araújo tem.
    Compro presente, como protetor, tiro dinheiro da empregada, revelo filme, material de limpeza, biscoito, tudo...

    E vaselina líquida pode?

    Tomara que não pegue, pois passo aqui no VNF e depois estaciono nas farmácias.

    Adoro o blog. beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi, Joo,

    Sou farmacêutica (não atuante na área) e tinha lido uma notícia sobre essa resolução da Anvisa ontem, e não me lembrava desta restrição à venda de cosméticos... Entrei no site a Anvisa e baixei a bendita, e numa olhada por alto não vi nada falando de cosméticos. Pra quem quiser conferir, o link é http://www.anvisa.gov.br/divulga/noticias/2009/pdf/180809_rdc_44.pdf
    A reportagem que eu tinha lido era do UOL, e no texto diz justamente o contrário: "De acordo com o texto, continua permitida a venda de plantas medicinais, drogas vegetais, essências florais empregadas em floralterapia, cosméticos,perfumes, produtos de higiene pessoal, produtos médicos e para diagnóstico, mamadeiras, chupetas, bicos e protetores de mamilos, lixas de unha, cortadores de unhas e similares." http://economia.uol.com.br/ultnot/valor/2009/08/18/ult1913u111884.jhtm
    Acho que essa reportagem do dia está um pouco equivocada...

    ResponderExcluir
  3. Ah, mais uma coisa.....
    Encontrei no próprio site da Anvisa a Instrução Normativa que regulamenta o que pode ser comercializado em Farmácias e drogarias. http://www.anvisa.gov.br/divulga/noticias/2009/pdf/in9_170809.pdf

    Cosméticos, perfumes e produtos para higiene pessoal estão permitidos.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Oi Joo, ai fiquei passada!!! Tambem estou lendo no site da Anvisa e concordo com a Carol, não to achando restrição de cosméticos, tomara que não tenha restrições para a venda de cosmeticos... fiquei triste porque nao pode mais vender lentes de contato..bjsss

    ResponderExcluir
  5. O que vi nos noticiários ontem é que medicamentos não podem mais ficar nas gôndolas. Cosméticos inclusive foram citados no Jornal da Globo como uma das coisas que podem ficar "à disposição das mãos" dos clientes.

    ResponderExcluir
  6. Ai que alivio os comentarios da Carolina e as outras meninas! Tava muito facista o negocio!

    ResponderExcluir
  7. Também sou farmacêutica e li a regulamentação da Anvisa. Cosméticos continuam permitidos nas farmácias, bem como medicamentos e correlatos,fitoterápicos e alimentos para dietas especiais.
    Lista de produtos permitidos:
    http://www.anvisa.gov.br/divulga/noticias/2009/pdf/in9_170809.pdf
    Resolução:
    http://www.anvisa.gov.br/divulga/noticias/2009/pdf/180809_rdc_44.pdf

    Anamaria

    ResponderExcluir
  8. Ufa! Proibir os cosméticos, aí já seria demais.
    Bjos!

    ResponderExcluir
  9. Então as padarias deviam ser restringidas a vender só pães porque chocolatinhos, balas, chicletes e mais mil docinhos também são belas tentações ao consumidor! Açogue não poderia vender a farinha e o pãozinho d alho! Que absurdo! E a nossa liberdade? O nosso livre-arbítrio? O governo quer nos proibir de fazer tudo!

    ResponderExcluir
  10. o problema não é quem vai comprar um antigripal e acaba comprando um batom, mas quem vai comprar um batom e acaba comprando um antigripal e se automedicando.
    Nem sou contra vender cosméticos, mas vender picolé, cerveja e chocolate é meio demias, né?

    ResponderExcluir
  11. Na verdad eo que proibiram foram coisas que não deveriam ser vendidas em farmácias. Em Goiânia se vende picolé e sorvete. Em outros lugares, cerveja, chocolates e doces, chicletes.
    A preocupação é com a pessoa que entra somente pra comprar um chiclete, e por estar a vista e com tão fácil acesso, acabam levando um antigripal, um remedinho pra dor de cabeça, etc, e acabam se automedicando.

    ResponderExcluir
  12. Agora pensa... comida não é o melhor remédio? Como vão proibir de vender essas coisas?
    Acho que isso não vai pra frente.
    Que mal tem uma pessoa gastar uns R$ 500 em remedio, e se achar com cara de doente e comprar um batom pra ficar melhor.

    Eles não podem ver nada indo bem... que metem o dedo no meio pra estragar.

    ResponderExcluir
  13. Ai que besteira, tanta coisa muito mais importante e se preocupam com essa baboseira.

    ResponderExcluir
  14. Na minha opinião é pura falta do que fazer!!!!!

    Ridículo! Isso é presumir uma total falta de bom senso por parte do consumidor...

    E daí se tem coca cola??? E se eu estiver no meio da rua e quiser comprar meu comprimido pra dor de cabeça para tomar em seguida com uma coca cola??? E se eu quiser parar num lugar só, evitando dez mil paradas e eitando passar o cartão dez vezes pela maquininha?????

    Fala sério, viu... Preocupação com as trapalhadas do Senado ninguém tem - mas arrumar pelo em ovo por politicagem são 2 segundos!

    Só um idiota mal informado vai parar na farmácia pra comprar um hidratante e vai sair de lá com 20 medicamentos desnecessários! Como se remédio fosse barato no Brasil! Humpf! Mais fácil eu pagar a conta dos R$250,00 que deixei lá em medicamento e adoçar minha boca com um chocolate para "abstrair" o rombo que os laboratórios fazem num orçamento familiar...

    Quanta falta do que fazer...

    ResponderExcluir
  15. Eu entro direto na farmácia pra me pesar e ver preço de hidratantes e esmaltes. As farmácias deviam poder vender o q quiser, só quem é imbecil pensa q por causa de um batom a pessoa vai levar um monte de remedinhos só pra não sair com a cestinha vazia...Querem melhorar a saúde das pessoas e evitar a automedicação? Invistam em boa educação para termos pessoas menos ignorantes por ai!
    prontofalei

    ResponderExcluir
  16. Ainda bem que eu sou macho e só entro na farmácia se estiver quase morto, precisando de um remédio. ;)

    ResponderExcluir
  17. Essa de evitar auto medicação não cola. Quem se auto medica vai continuar se auto medicando. Proibir a venda de alimentos e bebidas não vai alterar nada. As pessoas vão continuar indo à farmácia comprar remédio pra dor de cabeça, anti-gripal, engov... isso tendo chocolate, biscoito e bebidas ou não! Alguém acha mesmo que essa medida vai diminuir a auto medicação? Fala sério!

    ResponderExcluir
  18. Calma, flor! Não é bem assim... Farmácia voltará a ser Farmácia. Aqui em Londrina elas se parecem mais com supermercado. Vender comida em Farmácia é só pra atrair insetos e os pobres reais restantes dos nossos bolsos.

    Achei certíssima a resolução.


    Big beijo!

    ResponderExcluir
  19. Eu só concordo com a parte do controle. Os remédios devem ficar atrás do balcão, ao alcance apenas dos funcionários, certíssimo! Isso sim evita que as pessoas comprem remédios sem necessidade. Agora, qual o problema de parecer um supermercado? É isso que ajuda a tornar o negócio viável hoje em dia. E se a medida encarecer os remédios? Já que alimentos e bebidas ajudam as farmácias a venderem mais? Isso é bom?

    Os argumentos contra a venda de comida são esses: atrair insetos e nossos trocados? O primeiro só acontece se o ambiente não for cuidado e o segundo é balela. Se for por isso já deviam ter proibido aqueles espaços perto do caixa no supermercado que tem chocolates, balas e revistas.

    Enfim. Espero que essa medida não passe. ;]

    ResponderExcluir
  20. Ah isso não pode ser sério... como é que vão proibir cosméticos em farmácia??? isso não existe (ou pelo menos eu espero que não exista).
    Eu nem tinha escutado nada sobre cosméticos. Achei que só fossem proibir remédios sem receita ou algo assim...
    e também, se as pessoas vão até a farmácia pra comprar analgésico e saem de lá com sacolas cheias de outras coisas, é problema de cada um, quer dizer, nenhum funcionário da farmácia obruga alguém a comprar cosméticos...

    ResponderExcluir
  21. q merda isso hein???

    dêem uma olhadinha no nosso blog
    http://palomitaschics.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  22. Eu sabia que apenas alimentos e bebidas não podiam mais ser vendidos em farmácia, até apareceu uma imagem duma prateleira cheia de cosméticos falando que podia continuar vendendo (e eu sou pensei "iupiiiiiiii" \o/).
    Aqui no sul a Panvel tem toda uma linha de cosméticos , daí como ficaria? Eles parariam de fabricar/vender? Na na ni na não! :P

    ResponderExcluir
  23. Loo, sou estudante de direito (grandes coisa, néam..), to na 3ª fase, mas até agora aprendi que sim, uma resolução tem força de lei quando um órgão regulamentador é quem a sanciona. Traduzindo em miudos: tipos, se a anvisa, que é o órgão regulamentador das farmácias, baixar uma resolução dizendo que (zorra total mode on )não pode (zorra total mode off), as farmácias tem que obedecer. Tipos o que acontece com o conselho regional de medicina, qndo baixa uma resolução dizendo que médicos podem ou não fazer algo..
    Pra primeira contribuição pro VNF?, até que não foi tão ruim.. espero ter ajudado ;)
    beijos, nay *Ü*

    ResponderExcluir
  24. Ah, eu sou quase farmacêutica (falta só um ano de facul \o/) e trabalho com farmácia clínica em um hospital.

    Sem dúvidas essa resolução é um super avanço. Afinal de contas, o Brasil é um dos países do mundo com maior consumo desnecessário de medicamentos... tanto de venda livre quanto de venda controlada e a famácia, por mais que adoremos entrar lá e ver milhares de produtinhos de beleza, que vão poder continuar lá, é um local de promoção de saúde e não um mercado. Afinal, quem gostaria de entrar em um hospital ou um consultório médico e encontrar milhares de coisas sendo vendidas lá? Eu acho que é banalizar o local.

    =*

    ResponderExcluir

É novo(a) por aqui? Então preste atenção nas seguintes observações:

- O VnF? não é uma democracia
- Apreciamos críticas construtivas
- Comentários que tenham por objetivo apenas a auto-promoção poderão ser removidos.
- As postagens antigas estão sofrendo moderação para evitar os chatíssimos robôs-spam