quinta-feira, 11 de março de 2010

A most ingenious paradox**: se todo mundo tá usando, ainda é legal???

Já há um tempo que as lojas de departamento brazucas (aliás as estrangeiras também, Forever 21 é um exemplo) estão repletas de tachas, paetês e afins - roupas esburacadas ainda não pegaram por aqui, mas não duvido que apareçam. Blogs e blogs de meninas criativas e empreendedoras mostram DIYs de como tachar tudo, desde sapatos até jaquetas. E gente fazendo as próprias roupas e acessórios tá no top 10 de coisas que eu acho o máximo. Balmain cobra um caminhão de euros por um blazer tachado? Azar o dele, porque na C&A capaz de ter por dois dígitos de real.


Esses são os fatos.


Agora vem o paradoxo: quando uma tendência ditada na Europa (e que às vezes já foi ditada há algum tempo) aparece por aqui, primeiro no Fashion Week e depois, em lojas que o bolso da brasileira 'média' realmente comporta (aquelas de sempre do shopping e os nossos queridos grandes magazines), todo mundo fica super empolgado. Claro que a empolgação faz parte! Afinal, o novo é sempre empolgante, né? Quem estava ansioso esperando fica exultante e quem nunca experimentou até pode dar uma chance pra ver se, quem sabe, curte.


Em um segundo, todo mundo tá usando aquilo. Na rua, na chuva, na fazenda, no shopping, na faculdade, no trabalho, na academia, na aula de francês. E assim a coisa permanece por dias. Meses. E pouco a pouco, algumas pessoas começam a torcer o nariz pro que no começo era tão legal. Ok, pode ser que a tendência tenha enjoado. Mas o grande problema que elas vêem não é esse. O grande problema é justamente que 'todo mundo tá usando'. Desde a colega da faculdade até a caixa do supermercado.


Esqueçam por um momento o 'alto comando da moda', porque nessas alturas acho que eles já estão umas 20 tendências na frente. Tô falando de gente como a gente. O que eu tenho visto de galera reclamando das tais tachas e dos tais paetês não tá escrito em nenhum almanaque. E a razão nem é porque deixaram de gostar deles (ou talvez porque, desde o início, nem gostassem). A razão é a caixa do supermercado estar usando. A tia do salgado. A tia do xerox. A tia do banheiro. A moça no ônibus. Enfim. O grande paradoxo, pra mim, é dizer mil vezes que uma coisa é tão legal, tão legal, tão legal, daí todo mundo começa a usar, e quanto todo mundo começa a usar, aí a coisa já não é mais tão legal, porque virou comum, virou povão, virou ralé. Ma oê, o que vocês esperavam???? E ué, se tá aí pra todo mundo usar, qual o problema de TODO MUNDO - eu, você, a vizinha, a Kate Moss, a tia do salgado - usar?????


Se alguém entende isso, me explica? Porque eu não entendo! Pra mim, ou você gosta de uma coisa, ou não gosta, e é esse o primeiro critério que define o que você vai usar. Não é? Exemplo, eu gosto de moletom-canguru since 1978, ou seja, desde SEMPRE. Se amanhã o Marc Jacobs disser que moletom-canguru é uma droga, provavelmente irei mandá-lo pegar no meu canguru, ele nem vai ligar, eu vou continuar usando a peça e assim caminha a humanidade. Sim, eu acho possível você enjoar de uma coisa que antes gostava, como eu enjoei de sprite zero. E eu acho possível você começar a gostar de uma coisa pra qual antes torcia o nariz, como eu com o Clash (isso foi depois de ouvir I fought the law em sérvio!). Mas é legal que isso parta de você, né, e não de um evento externo.


Se hoje você tem um vestidinho preto de tachas que foi comprado na C&A, é muito possível (e até provável) que vá com ele a alguma balada e encontre uma outra moça usando exatamente a mesma roupa. Isso já me aconteceu algumas vezes. Já rolou inclusive de eu esperar 'passar a febre' de alguma coisa pra depois usar, isso porque realmente tinha curtido a peça e não estava muito aí pra temmmmdemmmmsia nenhuma. Mas mesmo que isso aconteça, é bacana lembrar que ninguém é igual a ninguém. E que eu, com meus 1,54m de altura dificilmente vou ficar "igual" à @liviaforte ou à Je Romanciuc (ambas com seus 1 metro e 80 e ai meu deus perdi as contas), ainda que a gente use a mesma roupa.


Acho que é uma coisa pra se pensar na hora de comprar: eu gosto mesmo disso aqui, ou tô comprando porque alguém disse que é legal? E se eu tô comprando porque alguém disse que é legal e a moda vai 'passar', e talvez eu não queira usar mais, quem sabe não é melhor eu gastar o menos possível nessa peça? Ah, e tem também que a moda vai-e-vem, então provavelmente se alguém disse há seis meses atrás que tacha era legal e hoje diz que não, daqui a uns anos vai estar dizendo que é legal de novo.


Isso é só um conjunto de pensamentos, talvez bastante ingênuos até, sem certo e sem errado. Nada pra inflamar ânimos, hein? É apenas a visão de uma pessoa que é o mais estranha ao 'mundo da moda' possível: nunca tive contato profissional com isso afora os contatinhos do VnF?, nunca estudei isso, e acho que a vida nem vai me dar essa oportunidade. Mas é a opinião de alguém que procura usar o cérebro que tem, e que vê as coisas numa posição de 'consumidora remediada' e da 'brasileira média' que citei no comecinho.


Bora debater?






**alguém aqui também gosta de Gilbert and Sullivan??? :)

35 comentários:

  1. Realmente muitas usam certas peças só porque está na moda... não que eu condene acompanhar a moda! Mas usar algo que você não gosta só porque está na moda não dá.
    A moda das tachas acho até bonita, mas não faz meu estilo. Resultado: não tenho nada com tachas.
    E acho uma besteira alguém parar de usar algo só porque todo mundo está usando. Vamos usar o que gostamos e esquecer dos outros!

    ResponderExcluir
  2. O pior é quando tu sempre andou desse jeito e vira moda, aí tu tem que te reformular... é brabo =/ bjs

    ResponderExcluir
  3. Joo,

    Amei! O hype cansa. Acho que quem é feliz consigo mesmo e tem um estilo próprio não tá nem aí se a tia do salgado (ótima) usa igual ou parecido.
    Reflexão sóbria, inteligente e em excelente hora.

    Beijo,

    Ciça

    ResponderExcluir
  4. É um assunto hiper interessante que passa por um fenômeno cultural e sociológico. O livro The Tipping Point de Malcolm Gladwell explica muito bem. Resumindo, podemos dizer que moda nasceu do desejo de diferenciação, na Idade Média, quando os nobres percebiam que a nova burguesia estava imitando suas roupas. Logo eles tratavam de criar algo novo para continuar sendo diferenciados. Na cultura atual, cria-se um desejo de moda que vai-se espalhando aos poucos, até tornar-se "febre", que é o Ponto de Desequilíbro - justo quando o fenômeno entra em decadência. A partir daí só usa mesmo quem ama esse tipo de coisa e o adota como um clássico. O resto do povo, já hiper-exposto à tendência, se entedia e procura novidades.

    ResponderExcluir
  5. O legal da moda é poder comprar peças antes inace$$íveis por preços compatíveis com meu bolso.
    Seguir tendência e querer ser diferente ao mesmo tempo são fatos que se batem de frente!
    Difícil, né?
    Comofaz?
    Talvez, pra começar, usar o semancol, o bom senso e respeitar seu gosto próprio, exatamente o que vc disse!
    Bom post para refletir mais uns dias nesta semana!

    ResponderExcluir
  6. Aaaaaaah Joo!! Que sem graça!! Poxa, logo agora que eu jurava que DESSA VEZ nenhum "probre" ia me aporrinhar!! Joo, debater é soooooo last season, garota! Vamos ser rycas e phinas e ver se a gente descobre a próxima tendemmmmmmmsia antes de todo mundo e usa di cum tanta força que todo mundo acredita que foi a gente que inventou. Inclusive a gente, néam?
    Esse papo já tá qualquer coisa.
    Tixau.

    ResponderExcluir
  7. Ai Joo, não consigo debater. Tô tão emocionada em saber que tu tem 1,54. É serio. E tu és maior que eu!!

    ResponderExcluir
  8. Caraca, desculpa Joo, eu super concordo com o que vc diz. Gosto de aproveitar a moda para experimentar e descobrir coisas que não sabia que gostava e talvez incorporar aquilo por meu estilo forever. Nuuuunca mais vou largar minhas sapatilhas.
    Enfim, o tema dá uma super discussão legal mas eu simplesmente não consigo debater decentemente porque não tiro uma coisa da cabeça: I fought the law em sérvio?????????!!!!!

    ResponderExcluir
  9. Caraca, desculpa Joo, eu super concordo com o que vc diz. Gosto de aproveitar a moda para experimentar e descobrir coisas que não sabia que gostava e talvez incorporar aquilo por meu estilo forever. Nuuuunca mais vou largar minhas sapatilhas.
    Enfim, o tema dá uma super discussão legal mas eu simplesmente não consigo debater decentemente porque não tiro uma coisa da cabeça: I fought the law em sérvio?????????!!!!!

    ResponderExcluir
  10. fora da moda, você? Imagina eu que não usei nada ainda nem conheço ninguém que usa tachas? Achei que essa moda ainda tava pra chegar no Brasil:-) O lado bom é que eu ainda não enjoei, né? Mas no mais, concluo que se você viver dinheiro, você compra a tendência antes dela se popularizar. Agora, se você é gente como a gente, ou você inventa suas próprias tendências ou se massifica. Tem outro jeito?

    ResponderExcluir
  11. tb acabo evitando o hype as vezes, não por preconceito ou qqr outra cosia do tipo, mas na roupa a gente também mostra a identidade né, e sair por ai uniformizada é o super over da last season. E se eu amo uma peça e ela fica batida é só repensar um jeito de usar. lembro no começo da volta das leggins em 2007, fui numa balada e eu era a unica ser do sexo feminino de calça jeans. tenso.

    ResponderExcluir
  12. Eu concordo com muuuuita coisa que vc falou. A verdade é que eu não sou de seguir moda, sempre curti tachas e roupas rasgadas, mas isso pq eu curto rock e aí essa tribo é mais assim. HAUHAUAHAUHAUAH a verdade é que nesse país, se uma coisa tá na moda vc só vê isso nas lojas, se a novela das 8h colocar uma calça de vinyl amarela td mundo vai curtir e aí vc nunca vai encontrar uma calça jeans nas lojas.
    O que eu percebo é que na Europa e nos EUA as lojas tem diversas modas, então se vc curte uma coisa vc pode usar o seu estilo normal. E a melhor coisa é que vc pode sair na rua de qqr jeito q NINGUÉM vai ficar te encarando na rua, mas aqui se vc usa uma coisa que não é moda ou é dita como brega, como suspensório que eu amo por sinal, td mundo te olha. E eu acho que eu fugi total do assunto. enfim.

    ResponderExcluir
  13. Rogers explica... Difusão da Inovação. Todos os produtos, sejam eles de moda ou não passam por isso. Em ciclos mais longos ou curtos, dependendo do produto

    Mesmo o seu moletom canguru vai passar por isso um dia, a única coisa é que ele demora mais para cair no desuso. É, digamos, um clássico.

    Beijos e parabéns pelo blgo

    ResponderExcluir
  14. Joo,

    Daria pra gente falar dias, meses e anos sobre esse assunto, até porque, tudo que é relacionado ao comportamento do ser humano, é um tanto complexo.

    Mas bora lá sobre a minha humilde opinião:

    Sempre gostei de ficar antenada sobre o que rola na moda, mas nunca comprei algo "só porque está na moda", mas sim porque gostei, combinou comigo e com meu estilo. Não tenho nada contra quem seja assim, porém comigo não rola.
    Se tem quem goste e use, por exemplo, calça Saruel (nada pessoal, meninas)óteeemo. Se sente bem? Caiu legal no corpo? Combina com o estilo? Maravilha.

    Agora, eu não vou usar uma calça Saruel "só porque está na moda", "só porque todo mundo está usando" e ainda "aparece em desfiles nas passarelas". Vou continuar achando, particularmente, que se eu usar, vai parecer que estou querendo esconder "minhas fraldas" ou algo assim, sei lá, não combina comigo...(minha irmã usa e sempre brinco com ela).

    Mas na boa, cada um tem que usar aquilo que gosta e se sente bem.

    Nunca vou dizer "jamais", "nunca", até porque, vai que um dia (daqui a "trocentos" anos), quando estiver grávida e não encontrar roupa confortável, eu acabe achando essa calça a melhor alternativa em relação a conforto ou praticidade?

    O mundo dá muitas voltas, a moda é cíclica e nós também mudamos todos os dias. Não é impossível passarmos a "gostar" ou "desgostar" de algo que temos, tivemos ou que usamos.

    Acho que tudo é questão de personalidade mesmo. Porque em relação a exclusividade, estou cansada de ver isso que você descreveu: pessoas aderem a moda, usam, ficam todas iguais, quase que como uniforme, e depois, só porque todo mundo está usando, já não quer mais?

    Na boa, eu sou super desencanada com isso. Se ver alguém com alguma roupa parecida ou igual a minha, vou pensar que essa pessoa tem muito bom gosto... Hehehehehehe

    Ainda hoje estava falando sobre isso aqui em casa: penso que quem quer exclusividade, não gosta de ter nada parecido (ou igual) ao de ninguém, deveria contratar um estilista exclusivo, porque é impossível não ter algo pelo menos similar ao de alguém.

    Somos seres individuais, exclusivos, e nunca seremos parecidos ou comparados "apenas" pela roupa que vestimos. Existe alguém por trás dessa roupa!

    Bem, essa é minha opinião (sem estresse, meninas, please).

    Concordo em gênero, número e grau com o que a Glorinha Kalil sempre diz: "Nós é que temos que usar a moda, e não deixar que a moda use a gente".

    Isso vale principalmente para quem insiste em usar algo que é temmmmdêmmmmsia (como vocês brincam), sem antes parar para pensar se aquilo combina realmente com o que a pessoa é.

    Moda, antes de ser só roupas, sapatos, acessórios, movimento, é também uma linguagem, uma forma de se expressar.

    O que a gente usa diz muito sobre nossa "personalidade" (isso para quem tem). Hehehehehehe...

    Bem Flor, acho que é isso...

    Bjusssssss!

    ResponderExcluir
  15. aiííí joo!!!
    também sou bem mais ligada no meu gosto do que em tendências. aí o bom é q qdo o gosto da gente tá na moda dá pra comprar bastante roupa, já q depois seguirá inevitavelmente uma época em q não encontramos nada q nos agrada...
    ótimo post, falar de roupa dá pano pra manga - atoron trocadilho tosco

    ResponderExcluir
  16. likli2: digamos que a Joo tem um prazer especial por idiomas bizarros ...

    ResponderExcluir
  17. Comigo geralmente acontece o oposto, gosto de coisas clássicas, quando aparece alguma novidade "escalafobética" reluto muito a gostar e quando todo mundo está usando eu penso "Ahhhh. tá bom eu tb vou usar" hahahaha, sou um paradoxo oposto ou não sou?

    Beijos
    Ana

    ResponderExcluir
  18. Oi

    Concordo com vc, tbm penso assim eu compro algo porque eu gosto, porque fica legal em mim, não porque é moda, talvez pq tbm tenho toda essa altura (serio vc tbm tem 1,54?) Eu olho essas sandalias gladiadoras e acho lindas, mais ai penso, vai encurtar ainda mais minhas pernas, e acabo desistindo, entre outras coisa... e eu como muito basica que sou, acabo preferindo um acessorio legal, e acabo caindo sempre nas mesmas basicas de sempre... a moda só me pega se eu realmente gostar de algo, e pra ser sincera ainda nao achei nada nessas novas coleçoes que me agradacem, estou a procura ainda.

    Bjs e um otimo fds!!!

    ResponderExcluir
  19. Oi querida, adoro o blog!
    Eu tb não tô nem aí se tá todo mundo usando uma tendência com a qual simpatizei, se eu gostei e meu semancol diz que ficou bom na minha pessoa, então blz!
    Mas tenho a impressão que as vezes enjoamos de determinadas bafhices pq qdo começamos a ouvir falar de algo que super-vai-pegar, isso é batido aos extremos...aí, qdo efetivamente vc encontra com aquela peça a um preço acessível, já até desencanou, de tanto que ouviu falar antes, pq nesse meio tempo, já surgiram mais umas mil novas tendências...eu adoro as novidades, mas sou seletiva.

    ResponderExcluir
  20. Sem querer ofender ninguém, mas eu acho que muitas vezes as pessoas que se incomodam com isso é porque ainda não encontraram o seu estilo pessoal, me explico: usar as peças de tacha ou o ombro em destaque a la balmain disfarçam a falta de estilo com conhecimento de tendências, mas a partir do momento que essas tendências ficam acessíveis a todos a pessoa perde o seu diferencial de estilo e então passa a ter que procurar outra tendência pra investir os seus dinheiros. Já uma pessoa que tem estilo pessoal dificilmente vai deixar de usar um artigo porque ele está muito acessível. Um exemplo: eu duvido que Constanza Pascolato deixaria de usar os óculos degradê porque a tia do salgado está usando e nem o usaria mais porque viu a Kate Moss desfilando com o seu. Mas isso de encontrar um estilo pessoal também é bastante complicado, exige muito auto conhecimento, auto crítica, erros e acertos. Eu por exemplo estou muito (mas muuuuito mesmo) mais próxima da brasileira que caça as tendências do que da Constanza Pascolato que já tem um estilo definido (embora a minha meta é, de um dia, ser a segunda opção)

    ResponderExcluir
  21. Eu achei super bacana e válido o comentário de que quando vc viaja pra fora, vê que todas as lojas (caronas e baratinhas) vendem de todos os estilos, e ninguém te olha estranho nem se vc sair de cabelo roxo e pele laranja com bolinhas verdes. Concordei!

    ResponderExcluir
  22. Olá Garota!
    Sou seguidora, porque adoro visitar seu espaço.
    Aproveitei a ocasião e linkei seu blog, para facilitar as visitas, tá?!
    Beijos Lucy

    ResponderExcluir
  23. Onde assino? rsrs
    A gente tem q usar o que a gente gosta, o que nos faz feliz e nos deixa confortáveis. Acho legal as tendências, é divertido entrar numa loja e ver coisas diferentes, ver por exemplo ombreiras, etc. Gosto das idéias dos estilistas. Mas seguir essas ideias, vai depender de uma série de fatores (meu bolso, meu porte fisico, minhas preferencias, etc).

    Agora, comentário engraçadinho:
    Tem gente que é tão escrava de tendencia q acaba perdendo o bom senso. Não tinha essa moda do short? e não tem o tal do short com meia calça? então, conversava com uma conhecida, que faz faculdade de direito, e ela contava que ela encontrou uma moça no forum vestindo o combo modernete short+meia calça. Oi?

    ResponderExcluir
  24. Eu até evito comprar peças que estão na moda e são marcantes, como taças e paetês (por sinal eu sempre achei horrível) justamente por dois motivos:
    1. Daqui a alguns meses a moda acaba e se vc continuar usando vai ficar com fama de out.
    2. Odeio ficar igual a todo mundo. Não sei quem inventou essa teoria de que moda é uma coisa boa. Principalmente quando moda é tacha e paetê. Argh.

    ResponderExcluir
  25. Completando, sou super a favor de me vestir bem. Mas isso não significa seguir modas. Acho que sou a única mulher do país que não tem uma calça skinny e uma sapatilha.

    ResponderExcluir
  26. Acho q quando a gente tem estilo, podemos "se jogar" em qualquer peça seja qdo e q época for.
    A moda serve pra nos inspirar e inflamar nossa imaginação, mas a busca de um estilo é fundamental pra qq uma estar bem ou confortável com aquilo q veste.
    estilo é atemporal (acho q alguém já falou isso, né!)
    Mas babuche da channel ou na galinha morta eu não compro de jeito nehum, nem q seja o último sapato da face da terra, não é meu estilo, e bombardiaria qq combinação do meu guarda-roupa.

    ResponderExcluir
  27. Acho q quando a gente tem estilo, podemos "se jogar" em qualquer peça seja qdo e q época for.
    A moda serve pra nos inspirar e inflamar nossa imaginação, mas a busca de um estilo é fundamental pra qq uma estar bem ou confortável com aquilo q veste.
    estilo é atemporal (acho q alguém já falou isso, né!)
    Mas babuche da channel ou na galinha morta eu não compro de jeito nehum, nem q seja o último sapato da face da terra, não é meu estilo, e bombardiaria qq combinação do meu guarda-roupa.

    ResponderExcluir
  28. queria eu ter todo um estilo de usar vestido com all star e piranha vermelha segurando a franja enquanto perde a dignidade deixando tirarem sua make pra fazer uma lindissssima depois!!!

    Essaas modinhas me cansam um pouco,gosto de gente com estilo proprio,que nao tem medo de ousar e sabe adaptar 1,54m em roupas que fiquem estilosas e com atitude !!



    Bjo

    ResponderExcluir
  29. Lembra de Sex and The city o filme??? No final quando elas se perguntam porque pararam de tomar Cosmopolitans e uma delas diz :" Porque todo mundo começou.".


    Isso é tolerável, eu mesma sou assim. Quando uma coisa que eu gosto muito entra em voga eu diminuoa frequencia de uso. Mas não deixo de gostar ou de comprar, na verdade aproveito pra fazer estoque, já que vc encontra em todo lugar.

    Quer um exemplo? Eu amo scarpin, de bico bem fino e salto bem alto e bem agulha. Todo mundo diz que é brega, todo mundo odeia, eu cago quilos na cabeça desse povo. Uso sempre e quand oentra na moda aproveito pra comprar um monte, já que depois fica difícil de encontrar por aí.

    Bem é isso.

    ResponderExcluir
  30. Amei teu post, Joo.
    Loucura total essa coisa de temmmmdemmmmssssiiiiaaaaa...heheheh
    tanto que eu sempre gostei de brilhos, e sempre fui tachada de "perua" e tals. E quem se importa???? dentro ou fora da moda, perua ou não, AMO brilhos e vou morrer usando.
    Acho que podemos usar FOREVER o que quisermos e principalmente, gostarmos. Basta usar o PENSO e o BOM SENSO, oks?
    bjkas

    ResponderExcluir
  31. concordo suuuper ! mas eu aho que quem relamente sabe usar as tendências acaba se diferenciando do resto .. além que o legal é usar sua criatividade , ser você mesma ;) '
    adoooooorei o blog ! já estava cansada dos blogs que só falavam da MAC , da LANCOME !

    ResponderExcluir
  32. Je, vc é fofa! Acredita que eu fiquei assim 'hããã??? vestido??? piranha??? all star???" ehehe

    Meninas, é, eu acho tão legal quando alguém pega alguma coisa que tá super em voga (e com 'em voga' eu digo 'à venda ao mesmo tempo na C&A, Renner, Riachuelo, Pernambucanas, etc etc etc') e usa de um jeito diferente!

    ResponderExcluir
  33. Na verdade, se a tia do salgado, ou a faxineira da faculdade estão usando, fico feliz que ela tenha a oportunidade de comprar uma roupa "temdensia" - sinal que tem uma graninha sobrando pra investir no visual, e as lojas populares estão fazendo!

    Eu não sigo moda, e sim bom senso. A maioria das minhas roupas são básicas, e assim posso usar 3, 4 anos sem que alguém diga que eu estou fora de moda! Acompanhar "temdensia" é difícil, e eu não sou uma pessoa pra isso.

    Beijos

    ResponderExcluir
  34. Acho o máximo que todos possam usar as tendencias,afinal as lojas populares estão ai pra isso.
    Quem quer algo mais exclusivo compra nas lojas mais caras e assim a coisa vai, bem democrática.
    Há diferenças entre uma bota da C&A e uma do Louboutin mas no final todas as mulheres ficam felizes vestidas e calçadas com o que podem e gostam!

    ResponderExcluir
  35. ooi
    eu concordo com tudo que tu disse, e que todas disseram
    mas n acho que o foco seja o porque que deixaram de gostar de tal coisa, e sim o porque que começaram. eu gosto de moda porque acho que ela me mostra coisas que já existiam de uma maneira diferente, que eu passo a gostar. por exemplo: vestido floral. nunca fui fã de floral, mas começou a aparecer tanto em revistas e nas primeiras modas( chamo de primeira moda aqueles que criam, e não os que copiam)que comecei a curtir. sei que posso enjoar logo em seguida, mas n vai ser porque todo mundo tá usando, todo mundo sempre usou. e sim porque realmente cansei. mas deixar de gostar n vou.
    e foi assim tbm com a cor azul, com clogs, com saia de cintura alta, esmalte marron,batom preto ou azul, saruel,gladiadoras e bla bla bla wiskas sachê
    essa é a parte boa do termo fashion, é ver com outros olhos coisas que já existiam. agora, como eu sei que moda passa voando, prefiro esperar e comprar em loja de departamento sim, com muito orgulho ou mandar fazer. afinal o que conta é como a pessoa está usando e não a marca.
    agora, tem coisas que já foram modar, voltaram e todo mundo usa que eu odeio mortalmente: calça boca de sino e cores fluor.
    mas é isso
    esse tipo de discussão dá mt pano pra manga, literalmente, e não se trata somente de marca, preço e tecido. e sim de questoes históricas, culturais.
    A CULPA É DA GLOBALIZAÇÃO!111111111


    como eu amo a globalização <3
    adoro o blog :*

    ResponderExcluir

É novo(a) por aqui? Então preste atenção nas seguintes observações:

- O VnF? não é uma democracia
- Apreciamos críticas construtivas
- Comentários que tenham por objetivo apenas a auto-promoção poderão ser removidos.
- As postagens antigas estão sofrendo moderação para evitar os chatíssimos robôs-spam