quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Conhecendo a Korres Brasil

EEEEE! Fazia tanto tempo que eu não passava por aqui que tinha até esquecido como era a cara do Blogger. E não é sem vergonhice não, viram, meninas? Esse meu nono mês de gravidez tem sido meio trote, cheio de azia, noites maldormidas, sono em horas impróprias, deprê bizarra, contrações, ansiedade. Isso porque, segundo marido médico e amigas que já são mães, sou uma gravidinha até que bem disposta - tanto que até tombo levei (mas calma que não aconteceu nada). E os últimos preparativos tem me tomado muito tempo mesmo. Mas agora que estou por conta de esperar a Nina, que pode chegar a qualquer momento, vou ver se consigo deixar uns postzinhos programados para estes próximos dias, e tento dar notícia pelo menos no FB na medida em que as coisas forem acontecendo.

Vamos ao que interessa. Lembram do meu post sobre produtos pouco manjados, onde eu falei sobre as coisas que tinha trazido da Korres e ninguém ligou??? Eu ainda não tinha conhecido as lojas da marca aqui no Brasil. Daí aproveitei que era aniversário da minha madrasta e fui na filial do Shopping Higienópolis, com a desculpa de comprar um presente pra poder colocar o nariz em tudo.

Fiquei um pouco "blé" quando vi que a loja não era bem uma loja, mas na verdade um quiosque. Tá, preconceito bobo com quiosques. A vendedora estava meio atrapalhada com a máquina de cartão de crédito, mas era super fofa e atenciosa; via-se que conhecia os produtos e que teve um bom treinamento. Não ficou brava em me mostrar tudo mesmo sabendo que eu iria escolher duas ou três coisinhas.

Vi as fragrâncias já conhecidas: jasmim, hortelã, goiaba. Vi também algumas que não conhecia, como figo e melancia (num body scrub que achei que iria amar, mas experimentei e não era lá essas coisas). Tinha shower gel de manjericão, enquanto o que eu trouxe de fora era de lima + manjericão, adoro, tem um tubinho de hidratante desse "sabor" morando no meu carro. E o mais engraçado: marmelo, a fragrância de que mais gostei (doce com um finalzinho azedo, uma delícia) era pra ser a mesma coisa que clementine, que eu tenho em casa, mas não achei igual não. Será que a matéria prima é diferente e por isso os produtos não saem tão padronizados? Interessante.

Preços? Não dá pra dizer que é baratíssimo, mas também não é proibitivo. A explicação, que já haviam me dado, parece residir no fato que os produtos são licenciados pela Johnson&Johnson e fabricados aqui. Exemplos? Uma embalagem com dois sabonetes de 80g cada, como essa da foto (cheirinho delicioso de flor de hibisco) saiu por R$18.




Abaixo está o hidratante delicioso de marmelo, não lembro exatamente quanto paguei mas foi em torno de R$30. Cheiro ótimo, absorção quase instantânea e hidratação digna (a moça vendedora disse que as body butters da marca hidratam por 24 horas, eu acho que não chega a tanto, mas que dura de manhã até ã noite, isso dura).



Os artigos mais caros que vi eram perfumes, tinha uns por R$129 e outros um pouco mais carinhos. Achei o de rosewood/blackcurrant/cyclamen fantástico. Destaque ainda para o óleo corporal de coentro, que não tinha cheiro de coentro mas sim de "limpeza", e para itens de higiene mais básicos, como desodorantes - talvez meio caros pra uso diário da creuza, mas quem sabe bonitinhos para presentear pessoas íntimas. Estou curiosa para experimentar as linhas de tratamento facial, depois que a Nina nascer e meus outros antiidades acabarem. Fred também deve ganhar alguns produtos masculinos da marca já-já.



Essa aí de cima foi a embalagem do presente da minha madrasta (escolhi os itens de que mais gostei, os sabonetes e a manteiga corporal de marmelo). Gostei, achei que ficou clean. Daí voltando à pé do shopping para casa, me surgiu uma dúvida/paradoxo: todos os produtos da Korres que eu tenho trazem na embalagem a informação de que não são testados em animais (as embalagens, aliás, são bem legais nesse sentido, super informativas sobre os ingredientes, testes e afins), muito embora a Korres não faça parte dessa lista da PETA. Tenho uma certa bronca dessas listas porque elas são bizarras e nunca "batem" entre si. Por outro lado, um monte de marcas "filhas" da J&J fazem parte das listas de empresas que testam em animais. Todo mundo que lê o blog sabe que eu tomo cuidadinho pra ser coerente nesses assuntos, mas aqui, juro, fiquei na dúvida de como agir, já que a Korres no Brasil é licenciada pela J&J. Sugestões?

Confusões à parte, gostei da experiência, e minha madrasta amou os produtos. Quem tiver experimentado pode (e deve) dividir a experiência nos comentários.

6 comentários:

  1. Que bom que tá tudo bem com vocÊs. Pena que não tem quiosque (essa palavra me lembra churrasco ou camping ou os dois ao mesmo tempo kkkkk) aqui em Curitiba. Boa hora Joo e essa aflição vai passar.
    Bjos
    Roberta

    ResponderExcluir
  2. Sempre acompanho o blog e estava com saudades dos posts. Torço para que estejam bem e todos os bebês venham com muita saúde.

    Eu também fico em dúvidas de como agir com empresas que não testam em animais mas pertencem a outras que testam. O fato de se preocuparem em trazem no rótulo dos produtos a informação de que não testam para mim já é muito válido. Tenho muita vontade de experimentar produtos da Korres já há um tempo, mas ainda assim o dilema permanece:/

    ResponderExcluir
  3. Conheci a Korres na Escócia e foi amor à primeira vista. Produtos excelentes, não testados em animais, e com ingredientes de primeira, muitos orgânicos.
    O creme hidratante facial é até hj um dos melhores que já usei.

    Portanto, fiquei mega empolgada quando soube da Korres aqui no Brasil. Até descobrir que os produtos aqui são fabricados pela J&J, que vai contra tudo que a Korres (supostamente) pregava na Europa: produção em massa, sem nenhuma preocupação em usar ingredientes mais naturais, sem ser sustentável e testando em animais.

    Não importa se na Europa eles ainda não testam. Se eles contratam a J&J pra fabricar os produtos deles em outros lugares do mundo, a coerência foi por água abaixo. Não compro nunca mais.

    Aliás, o fato dos produtos aqui serem diferentes (em consistência, cheiro, etc) é por causa disso, ou seja, nem nisso eles conseguem ser coerentes.

    ResponderExcluir
  4. Pior que, assim sendo, não adianta nada nem comprar fora (os meus produtos vieram todos da Sephora, e a embalagem explica que foram feitos em Atenas). Eu não sou xiita (considerando que uso absorvente e irei usar fralda dscartável nem dá pra ser), mas que lástima!!!

    ResponderExcluir
  5. Conheci a Korres na França, como sou louca por um porduto natureba resolvi experimentar. Adorei, trouxe umas coisinhas e foi uma grata surpresa ver que agora tem aqui, a preços "pagáveis" se comparados a outras marcas. No momento esotu usando o hidratante de figo e o óleo pós-banho de amêndoas, mas louca pra experimentar a maquiagem.
    Quanto ao teste em animais, acho que deveríamos entupir o e-mai da J&J de protestos.
    Mas é sempre assim: a Kiehl's era confiável até embaixo d'água, mas será que podemos dizer o mesmo da L'Oreal (no assunto testes)?

    ResponderExcluir

É novo(a) por aqui? Então preste atenção nas seguintes observações:

- O VnF? não é uma democracia
- Apreciamos críticas construtivas
- Comentários que tenham por objetivo apenas a auto-promoção poderão ser removidos.
- As postagens antigas estão sofrendo moderação para evitar os chatíssimos robôs-spam